Você já conhece o termo Tudo como Serviço?

Provavelmente você já ouviu falar em Software as a Service (SaaS), o mais famoso dos termos tratados aqui, entretanto o Tudo como Serviço, ou Everything as a Service (EaaS, XaaS ou *aaS), chegou com força às soluções em tecnologia por todo o mundo. Esse subtópico da computação em nuvem quebrou paradigmas e modificou a cultura das organizações, dando a possibilidade de substituir altos investimentos em software, hardware e infraestrutura por componentes reusáveis alocados na internet.

Como indicado nesse artigo, CAPEX e OPEX têm vantagens diferentes, entretanto, o OPEX nesse caso pode valer muito à pena, evitando dores de cabeça e tendo custo reduzido.  Os atributos e vantagens mais comuns de se encontrar em soluções as a Service são:

  • Barreira de entrada fraca: os serviços disponíveis e com alvo no consumidor atendem também pequenos negócios, havendo muitas ofertas comuns como opção;
  • Gasto de capital baixo ou nulo: a infraestrutura utilizada é propriedade do provedor;
  • Escalabilidade massiva: por serem em nuvem, as soluções podem atender grandes variações de demanda, embora em alguns casos ainda existam desafios ao provedor;
  • Multi-inquilinos: os recursos e custos podem ser compartilhados entre muitos usuários ao mesmo tempo;
  • Independência de dispositivos: independente do dispositivo utilizado, os usuários podem acessar os sistemas sem problemas;
  • Independência de local: assim como o item acima, por ser na nuvem, o usuário pode acessar os sistemas de qualquer local.

Tudo como serviço

Os tipos mais comuns de As a Service são o IaaS (Infraestrutura como serviço), o SaaS (Software como serviço) e PaaS (Plataforma como serviço)

Entre as opções de Tudo como Serviço, no IaaS, se contrata uma infraestrutura como serviço, instantânea, provisionada e gerenciada pela internet, em relação ao modelo tradicional de computação em nuvem, sua principal vantagem é a contratação de servidores virtuais (e outros dispositivos de infraestrutura) em vez da necessidade de compra de servidores, roteadores, racks e outras formas de de hardware.

O número de servidores virtuais, quantidade de dados trafegados, dados armazenados e outros itens é o que determina as tarifas pagas, é totalmente escalável, dependendo de como e com quem (fornecedor IaaS) você trabalha, sendo utilizado o modelo pay-per-use, assim a cobrança é baseada no serviço e não em produto, bastando contratar o número de servidores necessários para o próximo período e depois basta cancelar a utilização.

Após abordar a primeira das opções de Tudo como Serviço, chegou a vez da plataforma como serviço, um ambiente de desenvolvimento e implantação completo na nuvem, robusto e flexível, com recursos que permitem a você fornecer tudo, de aplicativos simples baseados em nuvem a sofisticados aplicativos empresariais habilitados para a nuvem.

Assim como IaaS, PaaS inclui infraestrutura – servidores, armazenamento e rede –, além de middleware, ferramentas de desenvolvimento, serviços de BI (business intelligence), sistemas de gerenciamento de banco de dados e muito mais. PaaS é criado para dar suporte ao ciclo de vida do aplicativo Web completo: compilação, teste, implantação, gerenciamento e atualização.

As diversas vantagens desse modelo abordam, além de todas as já citadas em IaaS, com a ajuda de seus recursos adicionais de middleware e ferramentas de desenvolvimento, a redução do tempo de codificação, funcionalidades de desenvolvimento sem adição de funcionários, desenvolvimento simplificado para diversas plataformas, suporte à equipes de desenvolvimento distribuído geograficamente e gerenciamento eficaz do ciclo de vida do aplicativo.

Por último, a terceira entre as mais importantes opções de Tudo como Serviço, sabendo que existem muitas, é o Software como serviço, pode-se comprar essa solução de software completa em um regime pré-pago de um provedor de serviço de nuvem. Podendo então alugar o uso de aplicativo para sua organização e seus usuários se conectarem a ele pela Internet, normalmente por um navegador da Web. Toda a infraestrutura subjacente, middleware, software de aplicativo e dados de aplicativo ficam no datacenter do provedor de serviços.

O provedor de serviço gerencia hardware e software e, com o contrato de serviço apropriado, garante a disponibilidade e a segurança do aplicativo e de seus dados. O SaaS permite que sua organização entre em funcionamento rapidamente com um aplicativo por custo inicial mínimo. É um modelo no qual a aquisição e/ou utilização de um software não está relacionada a compra de licenças, ou seja, você utiliza algum software e paga por sua utilização, na maioria dos casos, SaaS se refere às aplicações do usuário final, como um webmail.

Fora todas as vantagens de PaaS e consequentemente IaaS, o SaaS oferece, como a mais completa das opções de tipos de nuvem, vantagens como obtenção de acesso a aplicativos sofisticados (ERP e CRM corporativos), uso de software cliente gratuito, mobilização fácil da força de trabalho e acesso a dados de aplicativos de qualquer lugar.

Você também pode checar no vídeo abaixo, em inglês, um resumo do que é o XaaS:

 

Leia também...