Quais as implicações da transformação digital?

Com o avanço da transformação digital, antigas práticas e modelos previamente comprovados devem ser constantemente reconsiderados, devendo a organização ir além dos passos para transformação digital (mudança de modelo mental, levantamento de objetivos, estudo de novas tecnologias, implantação, feedback e reinício do ciclo), compreendendo as reais possibilidades.

DevOps, carteira de clientes, inteligência artificial, modelo de negócios, tudo isso e muito mais é impactado pelas mudanças trazidas por novas tecnologias e cultura da organização, então podemos abordar brevemente esses tópicos para compreensão do que significam essas alterações no ecossistema da empresa.

transformação digital

Notam-se tendências, por exemplo, em culturas DevOps de alternar facilmente entre serviços baseados em software e provedores de infraestrutura sem impactar o usuário final, caracterizando a força que a empresa ganha de se tornar independente dos fornecedores a partir da transformação digital. Essa independência é importante porque a partir do momento que a empresa conta com serviços de infraestrutura em OPEX, fica suscetível aos preços cobrados pelos provedores desses serviços, sendo a concorrência um fator que auxilia na oferta de preços competitivos.

E embora a manutenção dos clientes já existentes na carteira continue a ser uma prioridade em qualquer organização, estar ciente de que a  lealdade é reduzida implica em uma necessidade de colocar os holofotes no fluxo constante de novos clientes. Essa mudança significa que as equipes de produto precisam evoluir de uma simples mineração de clientes existentes, assim como expandir a relevância dos ganhos e perdas, já que os clientes perdidos representam uma mina de ouro na questão de análise de priorização. A capacidade de entrar e sair do serviço oferecido com facilidade pode ser um dos maiores pontos que pesam em uma venda, entre muitos outros novos atributos que competem com a amplitude tradicional de funcionalidade.

Mesmo questões com grandes avanços como a Inteligência Artificial precisam ser abordados pelas possíveis implicações da Transformação Digital, uma vez que, sendo impulsionada pelo avanço em nuvem, os insights da IA não aparecem automaticamente para o gestor, devendo, para conseguir incorporar o aprendizado básico de máquina à sua solução, ter conhecimento adicional para obtenção de recursos geradores de receita, gerando custos de contratação e treinamento, ou ainda OPEX.

Arquitetar um aplicativo escalonável em nuvem e evitar despesas operacionais cada vez maiores também são desafios encontrados por organizações que passam por essas mudanças, sendo comum e recomendado que a execução de alguns destes serviços, para os quais não se tem pessoal preparado, seja realizada por terceirizadas.

Os líderes de startups têm o benefício de poder avaliar um problema sob uma nova perspectiva, criando sua própria solução e uma missão maior. Já os seus fundadores têm a capacidade de abrir novas soluções que outros, talvez, possam ignorar, ou desconsiderar, assim, eles são ágeis e podem ser mais receptivos. Um negócio maior já apresenta um produto estabelecido e um público-alvo conectado. Há um sistema de departamentos e hierarquias construídas em torno disso, um portfólio de produtos e o interesse dos acionistas para enfrentar, nesse caso, pode-se compreender porque é um desafio maior para grandes empresas acompanhar a transformação digital.

Além das startups, também se deve aprender com as soluções e modelos usados pelas fintechs, que usam táticas colaborativas entre si, tendo se expandido para mais de 30 serviços financeiros espalhados pela cadeia de valor. A observação e busca de modelos de negócio rebuscados estão entre as principais estratégias para se manter forte no mercado corporativo.

Uma boa maneira de medir o quanto uma empresa está conformada com sua situação é comparar onde a organização está hoje em relação a onde estaria se a empresa fosse financiada desde o início como um negócio totalmente digitalizado. Essa percepção representa os desafios organizacionais assustadores que estão por vir, e assim uma boa organização deve entender que para ser uma grande empresa atualmente, também deve ser uma empresa de tecnologia. E uma empresa de tecnologia busca sempre identificar e desenvolver novos modelos de negócios digitais, garantindo que seus clientes e funcionários estejam no centro de tudo o que faz.

Reconhecer qualquer um desses pensamentos não deve desencadear uma reação exagerada, já que muitas outras organizações, se não todas as grandes, estão lidando com complicações semelhantes em sua jornada. Mas é necessário refletir sobre todo o impacto gerado pelas ferramentas que surgem uma seguida da outra e os novos paradigmas.

 

Leia também...