Um guia completo de todas as funções da computação em nuvem!

computação em nuvem

 

Nós já explicamos recentemente aqui no blog o que é a computação em nuvem de forma breve, mas se você prefere explicações mais detalhadas, inclusive para entender melhor como essa tecnologia pode impulsionar seu negócio e reduzir seu custos, acompanhe esse artigo e compartilhe com quem gostaria de saber um pouco mais.

Digamos que você seja executivo de uma grande corporação. Suas responsabilidades incluem se certificar de que seus funcionários tenham o hardware e software certos para suas funções. Comprar computadores para todos não é suficiente, você ainda tem que comprar programas ou licença de programas para cumprir os requisitos dos funcionários. Sempre que tiver uma nova contratação, tem que se certificar de que a licença permite mais um usuário ou comprar mais licenças, a situação se torna tão estressante que você até perde o sono.

Já existe alternativa para executivos como você, em vez de instalar uma suíte de programas para cada computador, você só precisa carregar uma aplicação. Essa aplicação permite aos usuários fazer login em um serviço web que hospeda todos os programas necessários para seu trabalho. Máquinas remotas de propriedade de outra organização rodam tudo desde e-mail à programas de processamento de análises complexas de dados. Essa alternativa se chama computação em nuvem.

Em um sistema desses há uma carga significante de trabalho. Computadores locais não têm mais que executar o trabalho pesado quando se trata de rodas aplicações, a rede de computadores que compõem a nuvem é que lida com isso. A demanda por hardware software diminui, a única coisa que o computador do usuário precisa fazer é rodar a interface do software, que pode ser tão simples quanto um navegador, e a nuvem cuida do resto.

Se você tem uma conta de e-mail com serviço baseado em rede, como Hotmail, Yahoo!Mail ou Gmail, você já teve experiências com esse tipo de tecnologia. Em vez de rodar um programa de e-mails no seu computador, você faz login em uma conta remotamente. O programa e armazenamento não existem no seu equipamento, e sim na nuvem.

Arquitetura da computação em nuvem

Quando falamos sobre um sistema desses, é útil dividir em duas seções, o front-end (contato direto do usuário final) e o back-end (contato mais próximo à origem do recurso), ambos se conectam por uma rede, usualmente a internet. O front-end é o lado do usuário no computador, e o back-end é a sessão “nuvem” do sistema.

O front-end inclui o computador do cliente (ou conexão à internet) e a aplicação requerida para acessar o sistema de computação em nuvem. Nem todos os sistemas têm a mesma interface de usuário, alguns serviços como e-mail utilizam navegadores web, enquanto outros têm aplicações que provém acesso aos clientes.

No back-end estão os vários computadores, servidores e sistemas de armazenamentos de dados que criam os serviços de computação em nuvem. Na teoria, um sistema desses poderia incluir qualquer programa que você imaginar, de processamento de dados à videogames, na prática, cada aplicação tem seu servidor dedicado.

Um servidor central administra o sistema, monitorando tráfego e demandas dos clientes para garantir que tudo funciona harmoniosamente. Segue uma série de protocolos e usa um tipo especial de software chamado middleware. Esse software permite a computadores conectados à internet se comunicarem com outros. Na maior parte do tempo, os servidores não rodam em capacidade máxima, o que significa que há poder de processamento sendo desperdiçado, quanto à isso, é possível enganar um servidor físico fazendo-o acreditar que são na verdade vários servidores, cada um rodando seu sistema operacional independente, essa técnica é chamada virtualização de servidor, e por maximizar o número disponível de servidores individuais, a virtualização reduz a necessidade de mais máquinas físicas.

Se uma organização de computadores em nuvem tem um monte de clientes, há maior chance de demanda por muito espaço de armazenamento, algumas empresas chegam a precisar de centenas de dispositivos de armazenamento digital. Tem ainda a redundância desses sistemas, que indica que são necessários sempre ao menos o dobro dos dispositivos de armazenamento necessários à manutenção das informações dos clientes, isso porque esses equipamentos ocasionalmente quebram e para evitar a perda dos dados, o sistema faz cópia de tudo, criando um back-up completo.

computação em nuvem

Aplicações

As aplicações desse tipo de sistema são praticamente ilimitáveis, com o middleware certo, um computador de nuvem pode executar todos os programas que um computador normal roda. Potencialmente, tudo desde o processamento de palavras à programas customizados para organizações específicas podem funcionar em nuvem.

Por que alguém iria confiar em outro sistema de computadores para rodar programas e armazenar dados?

  • Clientes ficam habilitados a acessar seus dados e aplicações de qualquer lugar, podendo acessar a nuvem desde que haja conexão à internet. Não sendo os dados confinados à um HD de computador pessoal ou à rede interna da empresa;
  • Diminuição dos custos com hardware, a nuvem reduz a necessidade de hardware avançado no lado do cliente, não precisando assim comprar o computador mais rápido, com a maior memória. Em vez disso, o terminal pode incluir um monitor, teclado e mouse e apenas poder de processamento suficiente para rodar o middleware;
  • Organizações que confiam em computadores para cada funcionário, têm que se preocupar com a licença e manutenção dos softwares em cada máquina, sistemas em nuvem permitem à essas organizações acesso amplo às aplicações, já que as empresas podem pagar uma taxa de licenciamento para uso em nuvem;
  • Servidores e servidores de armazenamento ocupam espaço, algumas empresas chegam a alugar espaços porque os equipamentos não cabem em seus prédios. A nuvem dá à essas companhias a oportunidade de armazenamento no hardware de outra organização, removendo a necessidade de mais espaço físico do front-end;
  • Redução dos custos de TI, já que uma organização de hardware simplificada tem menos problemas do que uma rede heterogênea de computadores e sistemas operacionais;

Se o sistema de computação do backend é uma rede de computadores, então o cliente tem a vantagem de usar todo o poder de processamento dessa rede. Frequentemente, cientistas e pesquisadores trabalham com cálculos tão complexos que levariam anos para computadores individuais os completarem. esse processo pode ser acelerado ao colocar o poder da nuvem para trabalhar.

Preocupações

As maiores preocupações com a nuvem costumam ser segurança e privacidade, a ideia de entregar dados importantes à outras companhias preocupa algumas pessoas. Executivos corporativos podem hesitar ao tomar vantagem do sistema em nuvem por temerem não ter controle.

O contra-argumento à esses executivos é que as empresas que oferecem serviços em nuvem vivem e morrem por suas reputações. Ter medidas de segurança confiáveis as beneficia, de outro modo, perderiam todos os seus clientes, está no seu interesse empregar as técnicas mais avançadas para proteger os dados do seu público.

Privacidade é outra preocupação, se o cliente pode acessar de qualquer local os dados e aplicações, é possível que sua privacidade seja comprometida. Os dois modos mais utilizados são a técnica de autenticação, como nomes de usuário e senha, e o formato de autorização, em que cada usuário pode acessar apenas os dados e aplicações relevantes à seu trabalho.

Algumas questões a respeito da nuvem são mais filosóficas: O usuário ou organização que contrata o serviço em nuvem é o dono dos dados? A organização de computação em nuvem, que provém o espaço de armazenamento, é sua proprietária? É possível para uma empresa de servidores em nuvem negar acesso do cliente a seus próprios dados? Muitas organizações, escritórios de advocacia e universidades estão debatendo essas e outras questões sobre a natureza da computação em nuvem.

Como essa tecnologia vai afetar outras indústrias? Há um crescimento da preocupação na indústria de TI sobre como o serviço em nuvem pode impactar o negócio de manutenção e reparo de computadores. Se as organizações mudarem para esse sistema otimizado, terão menos necessidades em TI, por isso, alguns experts acreditam que as necessidades e empregos dessa área migrarão para o back-end.

Outra área de pesquisa na comunidade de ciência da computação é a computação autonômica, em que um computador se auto-administra, o que significa que o sistema monitora a si mesmo e toma medidas para prevenir ou reparar problemas. Atualmente, isso é mais teórico, entretanto, casos como o banco de dados autônomo lançado em 2017 pela Oracle já são realidade, e quanto mais a tecnologia se aproxima de ser a realidade das organizações, mais ameaçadas ficam muitas vagas de manutenção da área.

Esperamos ter esclarecido algumas dúvidas e contribuído para seu conhecimento sobre a nuvem, até a próxima!

Referência

Leia também...