O que significa CAPEX e OPEX

Em algumas de nossas publicações, CAPEX e OPEX costumam aparecer entre os termos necessários para compreender o procedimento que está sendo explicado, mas por mais que o significado esteja entre parênteses nesses casos, apenas descobrir que CAPEX é capital expenditure e OPEX é operational expenditure não é suficiente.

Muitas inovações na área de administração têm termos muito usados mas muito confundidos, um caso semelhante é o termo “sustentabilidade”, que já explicamos como se relaciona com a modernização da sua infraestrutura (aqui), mas vamos às explicações dos termos desse artigo.

CAPEX

CAPEX

Ao se pensar na aquisição de um equipamento ou terceirização de um serviço é que abordamos essas siglas. O CAPEX são as despesas de capitais ou investimento de bens de capitais, envolvendo todos os custos relacionados à aquisição de equipamentos e instalações, elementos em geral que vão ampliar a capacidade da empresa de retornar maior lucro, sendo assim, também envolve a aquisição de serviços. Os ativos comprados referem-se à uma nova aquisição ou algo que aumente a produtividade do setor ou equipamento, sempre levando em conta o segmento e sua influência no capital expenditure. 

Quando a vida útil do bem adquirido é maior do que a duração de um ano fiscal, a capitalização das despesas é feito por amortização, para propriedades intelectuais, e depreciação, para bens tangíveis. Para tanto, divide-se o custo do elemento pela vida útil indicada nos regulamentos fiscais. Esse índice é também utilizado como base para calculo de ROI (Retorno sobre Investimento).

Aqui todo o investimento será aplicado nas operações da própria empresa, pode ser usado para adquirir ou melhorar ativos imobilizados, bens tangíveis com vida útil mais extensa do que a do exercício em que se deu o investimento ou compra.

E embora seja muito dispendioso, esse tipo de investimento acumula patrimônio para a organização, servindo a avaliação dos ativos imobilizados como um dos pilares da definição de valor de mercado.

OPEX

OPEX

Já as despesas operacionais referem-se aos pagamentos relacionados com a gestão empresarial (suas atividades) e com a venda de produtos e serviços. Ocorre por exemplo quando, em vez de comprar um datacenter e operar por conta própria, a organização decide contratar um serviço que entrega o datacenter e todo o suporte, com monitoramento, capacitação de TI e atualização do sistema (serviços que a Ever It oferece).

Dessa forma, pode-se entender como um aluguel de bens e prestação de serviços, estando os custos relacionados à manutenção de equipamentos, funcionários, combustível, comercial e serviços terceirizados, entre outros.

Um dos exemplos fora do ambiente das organizações que facilita o entendimento desse conceito é o serviço de streaming Netflix, o usuário paga um valor por mês e tem acesso à muitas opções de entretenimento em vídeo, e quando o pagamento é cancelado, o serviço fica indisponível.

Os principais gastos de OPEX estão relacionados à manutenção e reparos, licenciamentos, publicidade, serviços de advocacia, despesas de escritório, seguro, taxas e administração sobre a propriedade, devendo-se executar um bom gerenciamento desses gastos buscando reduzi-los sem haver quedas na qualidade ou nível de produção.

Uma característica importante a frisa sobre o OPEX é a dedutibilidade tributária do gasto que pode ser alcançada. Ao se comparar a virtualização de servidores a serem instalados na empresa com a opção de computação outras nuvens, tendo inclusive direito a serviços de manutenção nessas, o custo da segunda pode ser muito menor e gerar economia de capital. A dedutibilidade tributária se dá porque as despesas dedutíveis na apuração do lucro real são as operacionais e necessárias às atividades da empresa, não sendo os OPEX levados em conta.

Infraestrutura tecnológica associada à contábil geram 52% da desvalorização do produto ao ano, assim como, logo que a organização adquire uma infraestrutura, esta perde de 10 a 15% do valor, sendo assim, colocando na balança o ponto negativo de muitos contratos de serviço serem de longo prazo, pode-se contornar a depreciação e usar o budget para outro fim.

CAPEX x OPEX, como decidir?

Para tomar a decisão com base em dados é necessário um planejamento de crescimento em médio prazo, levando em conta que a receita será gerada muito após e será necessário rodar a empresa com o fluxo de caixa. Os diferentes fatores a serem levados em consideração nessa decisão são:

  • Tempo médio de depreciação dos equipamentos de TI;
  • Custos de atualização;
  • Risco de descontinuação da tecnologia;
  • Pré-requisitos para instalação dos equipamentos;
  • Economia fiscal;
  • Vínculos contratuais;
  • Fluxo de caixa;
  • Mão de obra dos analistas, técnicos e suporte;
  • Necessidade de investimento em CAPEX (muitas vezes basta a utilização de terceiros, OPEX);
  • Estimativa das receitas, custos e despesas do projeto;
  • Previsão da duração do investimento (meta organizacional da empresa);
  • Custos indiretos;
  • Payback;
  • Capacidade ociosa até atingir a carga de trabalho planejada.

Com todos esses fatores, pode-se chegar ao modelo que melhor se adapta ao cenário da sua organização, mas em todo caso, sempre vale fazer um orçamento e tirar dúvidas com empresas especialistas no tipo de projeto que será adotado.

Área de TI

Com as diferentes possibilidades da Infraestrutura Hiperconvergente (HCI), tudo depende do cenário de cada organização, e mesmo levando-se em conta os diferentes pontos da formulação de modelo do projeto do tópico anterior, podem restar algumas dúvidas.

Para sanar esse questionamento pode-se citar a facilidade na migração para a nuvem, que exige menos compra de hardware e softwares tradicionais, reduz custos de ativos físicos, diminui a depreciação do bem de capital, adequa-se à sazonalidade de uso, otimiza a manutenção da infraestrutura e tem escalabilidade, atendendo de acordo com seu nível de demanda.

Por outro lado, muitas empresas precisam se modernizar e preferem uma abordagem mais tradicional, acumulando patrimônio na empresa e tendo uma perspectiva de maior segurança com infraestruturas virtualizadas em datacenters próprios, além de outros possíveis casos como a intenção de não depender de prestadoras de serviço para realizar manutenções ou de as prestadoras serem concorrentes indiretas e a diretoria não se sentir confortável com a decisão.

De qualquer forma, esperamos que os conceitos de CAPEX e OPEX tenham ficado claros e ajudem na formulação do seu projeto de modernização da infraestrutura de sua organização, estamos sempre à disposição para quaisquer dúvidas!

Referência

Leia também...