Como sair na frente na economia digital?

Desde que as ferramentas associadas à internet, sejam elas a própria internet ou dispositivos de diferentes tipos, o mercado se adaptou a esses avanços, incorporando as novas soluções aos seus modelos de negócios, passando a ser obrigatório para um bom empreendedor estar ciente das novidades. Essa melhoria na qualidade da empresa se chama economia digital, sendo acompanhada por um conjunto de boas práticas e regras a serem seguidas em prol de um melhor funcionamento, mas com quais aspectos desse conceito devemos nos importar?

A primeira característica da economia digital à qual devemos nos apegar é a agilidade proporcionada aos negócios, seja na troca de informações ou logística, que altera as dinâmicas dos ambientes interno e externo da empresa, assim, ao pensar em quais ferramentas são necessárias e planejar seu uso, deve-se atentar à agilidade que será obtida em negociações com empresas parceiras, fornecedores e clientes.

O segundo ponto trata das mercadorias da economia digital, ou seja, além do que já era vendido antes passar a ter um processo mais ágil devido à economia digital, infoprodutos, mercadorias sem formato físico, podem receber a atenção da organização, expandindo o leque de negócios.

O terceiro trata de algo fortemente relacionado ao Big Data, o que dá base para que esse novo conceito tenha surgido a partir da economia digital é a relevância das informações digitais, pois, se é possível coletar estatísticas e realizar pesquisas com resultados tão válidos quanto os coletados na rua, e com custos muito menores, fica mais fácil melhorar os serviços prestados pela organização, agradando cada vez mais o público. Junto à relevância desses dados, pode-se citar também a automatização dos processos de análise.

Por último, a flexibilidade também ganha destaque na economia digital, pois por mais que a estrutura de negócios seja estável, é sempre necessário reavaliar o quadro todo em que a empresa está inserida, sendo de ótimo grado a inovação constante. Assim, ao investir em ferramentas, treinamentos, especializações, infraestrutura, ou outras soluções, se cria uma estrutura de adaptabilidade na empresa, ou seja, pelo fato de já terem havido mudanças previamente, é mais fácil para os colaboradores acompanharem os novos paradigmas, levando a flexibilidade proposta à prática.

economia digital

2 aspectos com os quais se preocupar no cenário de economia digital:

Conectividade: deve-se focar na qualidade das conexões, evitando problemas de latência ainda comuns e diversos outros gerados por falhas na comunicação, se a dinâmica do mercado atual gira justamente em torno da conexão à rede, investir em boa qualidade de conexão deve ser um pré-requisito atendido pelo gestor, ao fazer o planejamento da empresa;

Segurança da informação: mais uma vez um dos tópicos mais relevantes na era digital, são milhões de aplicações, sensores, pessoas e máquinas conectadas, se expondo à diversos riscos diariamente, então, criar e se certificar de que protocolos de segurança estão sendo seguidos em sua empresa passa bem longe de ser uma paranoia.

Entrar em contato