Você conhece as previsões do futuro da TI para a sua empresa e no cenário global?

Constantemente abordamos os desafios enfrentados pelas organizações na busca pela modernização e uso das melhores soluções, inclusive convidamos você para ver alguns dos desdobramentos da indústria 4.0, mas confira algumas previsões da Gartner para as empresas a partir de 2019, mudanças essas que afetam definitivamente o futuro da TI.

futuro da ti

A Gartner coopera com mais de 10.000 (dez mil) empresas, incluindo CIOs e outros executivos da área de TI, nas corporações e órgãos do governo. A companhia consiste em Pesquisa, Execução de Programas, Consultoria e Eventos e atua desde 1979.

  • Até 2020, 80% dos projetos de IA permanecerão como resultado de talentos que não serão amplamente dimensionados na organização. É irônico que a IA tenha o potencial de fornecer insights em tempo real em qualquer lugar de uma organização a qualquer momento e melhorar o desempenho, mas a maioria das organizações permanece baseada em silos. Para que os projetos de IA sejam resolvidos, os executivos de nível C devem assumir a responsabilidade e apoiá-los para a produção total, deixando claro que são essenciais para o futuro dos negócios;
  • Até 2023, haverá uma redução de 80% em pessoas desaparecidas em mercados maduros em comparação com 2018 devido ao reconhecimento facial da IA. Um exemplo de como o reconhecimento facial hoje é experimentado por qualquer um que embarque em um voo internacional a partir de um aeroporto dos EUA, onde você pode optar por embarcar via scanner facial. A experiência leva segundos e você está no seu voo. A base da previsão da Gartner é a rápida adoção do reconhecimento facial para localizar elefantes, rinocerontes e leões ameaçados de extinção, patrocinados pelo Alibaba em colaboração com o Ministério de Turismo e Vida Selvagem da República do Quênia. O Alibaba também está integrando a IoT nesses pilotos. O potencial de usar as principais tecnologias de reconhecimento facial de IA para analisar contêineres e embalagens que foram danificadas em cadeias de suprimento mostra potencial, especialmente em negócios de Manutenção, Reparo e Revisão (MRO), abrindo portas para este tipo de pesquisa e desenvolvimento no futuro da TI;
  • Até 2023, as visitas ao departamento de emergência dos EUA serão reduzidas em 20 milhões devido à inscrição de pacientes com doenças crônicas em atendimento virtual aprimorado pela AI. Uma doença crônica é definida pelo Centro de Controle de Doenças (CDC) como uma que dura três meses ou mais. As doenças crônicas afetam 40% da população dos EUA e representam 75% dos custos totais com saúde. No Brasil, 57 milhões de pessoas sofrem de doenças crônicas;
  • Até 2023, 25% das organizações exigirão que os funcionários assinem uma declaração juramentada para evitar o cyberbullying, mas 70% dessas iniciativas falharão. A Gartner está prevendo que até 2019 haverá 44% mais processos federais relacionados a assédio no local de trabalho do que em 2017. Espere ver mais foco em como os funcionários usam mídias sociais em um contexto de trabalho e o uso de IA e aprendizado de máquina para monitorar o cyberbullying em fóruns de funcionários internos. Os executivos de nível C precisam estar dispostos a denunciar os praticantes desses atos, deixando claro à todas as empresas de que suas culturas serão um lugar seguro para se trabalhar;
  • Até 2022, 75% das organizações com equipes de tomada de decisão da linha de frente que refletem a diversidade e uma cultura inclusiva excederão suas metas financeiras. A Gartner prevê que, até 2018, mais de três quartos das grandes empresas definirão suas metas e responsabilidades de Diversidade e Inclusão (DI) para um cronograma de 2020 a 2022. E até 2020, 10% das grandes empresas terão estratégias para gerenciar aspectos não óbvios da diversidade (como estilo e diversidade de pensamento);
  • Até 2021, 75% das blockchains públicas sofrerão “envenenamento por privacidade” – dados pessoais inseridos que tornam o blockchain incompatível com as leis de privacidade. A Gartner prevê que até o final de 2021, mais de um bilhão de euros em sanções para o descumprimento do GDPR tenham sido emitidas e até 2022, mais de 75% das entidades que pretendem gerenciar o comércio ou o engajamento tecnológico – incluindo regiões, estados e países em todo o mundo – terão começado a alterar seus regulamentos de privacidade para seguir o exemplo do GDPR;
  • Até 2023, as regulamentações de ePrivacy aumentarão os custos on-line, minimizando o uso de “cookies”, prejudicando a atual máquina de receita de publicidade na Internet . A Gartner e muitas outras empresas de análise estão prevendo uma reação global à prática de oferecer informações pessoais e atividades de graça. Como resultado, a Gartner está prevendo até o final do ano de 2019 que a receita publicitária de cinco grandes empresas de tecnologia de marketing comercial cairá 10%, carecendo então de um futuro da TI preocupado com a geração de receitas também nesse âmbito;
  • Até 2022, um caminho rápido para o digital converterá os recursos internos em produtos externos geradores de receita, usando economia e flexibilidade na nuvem. Assim como as máquinas inteligentes são o futuro da manufatura, produtos e plataformas inteligentes e conectados que convertem recursos internos em novos serviços e receitas baseadas em assinatura são o futuro. Os fabricantes, em especial, não têm escolha senão se reinventar e se libertar da receita baseada em transações, se quiserem manter as margens brutas de que precisam para expandir seus negócios;
  • Até 2022, as empresas que aproveitam a posição de “gatekeeper” dos gigantes digitais irão capturar 40% do mercado global, em média, em sua indústria. A Gartner prevê um oligopólio ainda maior do que existe hoje em tecnologia, com alianças e parcerias sendo um indicador precoce de que isso já está ocorrendo. O número médio de parceiros de uma empresa crescerá de uma média de 78 parceiros para 143 até 2020, à medida que os líderes de participação de mercado digital aumentarem a escala. A Gartner também acredita que a IoT e a análise serão essenciais para esse crescimento, prevendo taxas de crescimento de dois dígitos em 2019;
  • Até 2021, os escândalos de mídia social e violações de segurança terão efetivamente um impacto duradouro do consumidor. Como muitas outras firmas de análise, incluindo a Forrester, que criou a estrutura Zero Trust Security , a Gartner prevê violações massivas e escândalos de mídia social provenientes, em parte, de redes e dispositivos baseados em IoT. Abordagens herdadas para gerenciar a segurança não estão escalonadas na velocidade e profundidade que as redes de IoT precisam para se manterem seguras. A Zero Trust Security inicia com o Next-Gen Access para proteger todos os endpoints e superfícies de ataque dos quais as empresas digitais dependem para operações diárias e limitar o acesso e privilégio para proteger as “chaves do reino”, o que dá mais poder aos hackers;

Ultimamente abordamos com maior frequência a temática do futuro da TI, e acreditamos na seriedade e força de previsão da Gartner, sendo assim, queremos saber também a sua opinião, o que acha dessas previsões?

Clique aqui para ir à referência.

Leia também...