Do que preciso para um bom gerenciamento multi-nuvem?

Conforme são adicionados serviços baseados em nuvem à sua organização, percebe-se que não se deve usar o mesmo provedor de serviços para todos os processos e funções, em vez disso, você terá que lidar com vários provedores de serviços em nuvem, e a capacidade de fazer mais na nuvem, em um cenário multi-nuvem, abre muitas oportunidades para maior colaboração e produtividade.

multi-nuvem

Um ambiente com várias nuvens é complicado, mas traz um novo nível de eficiência, contenção de custos e produtividade não visto na organização antes da implementação de várias plataformas e ferramentas na nuvem. É um processo que evolui ao longo do tempo com novas tecnologias e mudanças nos objetivos organizacionais, e a área de TI acompanha esse processo, aprendedo mais sobre como a nuvem funciona, o que é possível e o que ainda precisa ser melhorado.

Recomenda-se um processo de gerenciamento de várias nuvens para qualquer empresa que começou a usar vários fornecedores de nuvem para seus departamentos e tarefas, pois pode fornecer forma, controle e resultados de forma muito mais eficaz do que simplesmente continuar adicionando produtos de nuvem e esperando que tudo funcione junto da melhor maneira.

No entanto, uma estratégia multi-nuvem também significa que há muito mais para supervisionar, e a seguir você encontra 6 dicas às quais prestar atenção na hora de criar uma estratégia de gerenciamento de várias nuvens para sua empresa:

1. Selecione muito bem os parceiros na nuvem

Cada provedor de serviços em nuvem deve atender às suas necessidades e orçamento específicos. Mas como você também trabalhará com vários parceiros na nuvem, será necessário pesquisar profundamente para garantir que as plataformas e as ferramentas da nuvem sejam compatíveis umas com as outras, e, mais importante, não sejam redundantes.

Para fazer isso, você pode fazer um mapa de todos os recursos de cada provedor de serviço em nuvem que estava pensando, visualizando o que está coberto e como cada um funciona com os outros. Ver o grau de complexidade ajuda a determinar o nível de gerenciamento necessário, assim, também se descobre novas ferramentas de gerenciamento multi-nuvem, incluindo ferramentas de código aberto, que podem ser úteis para controlar despesas e recursos em várias plataformas de nuvem.

2. Aprenda a usar as plataformas

Tão importante quanto o primeiro passo, esse pode ser a diferença radical entre fazer um bom uso das funcionalidades da plataforma ou usar poucos recursos e até se frustrar pela baixa produtividade. Uma das estratégias mais úteis é usar a interface de gerenciamento de nuvem nativa, disponível em cada provedor de nuvem que você usa. Essa interface é o hub central, a partir do qual você pode entender como cada ferramenta e recurso pode ser otimizado, gerando maior valor para as atividades da sua organização.

Embora essa tarefa possa ser tão demorada quanto a pesquisa inicial para contratar cada fornecedor de nuvem, o investimento de tempo vale a pena por ensinar aos membros da equipe de TI mais sobre o verdadeiro poder da nuvem. Além disso, aprende-se a dividir efetivamente os recursos nas plataformas e ferramentas de nuvem usadas, evidenciando onde realmente deve haver mais investimento e foco, facilitando também o trabalho de quem precisa trabalhar com soluções multi-nuvem.

3. Faça cotação dos custos

Uma das tarefas mais desafiadoras e críticas relacionadas ao gerenciamento multi-nuvem é supervisionar os custos e contabilizar todos os gastos em todas as ferramentas e provedores. Uma maneira de fazer isso é acompanhar o que é implantado e avaliar várias métricas em relação ao custo da organização para usá-lo mensalmente ou anualmente. Isso inclui quanto tempo a equipe gasta usando, gerenciando e solucionando problemas, como essa ferramenta de nuvem reduz outros custos e o benefício geral que ela oferece. Ao calcular esses custos, não se esqueça de adicionar também itens como custos de tráfego, despesas de integração e uso de mão de obra.

4. Pense no futuro

Parte do processo de gerenciamento multi-nuvem é considerar o que está por vir para o ambiente multi-nuvem e nuvem no futuro próximo, e o sistema geral de gerenciamento em uso precisará evoluir continuamente, juntamente com a tecnologia emergente e novas opções que surgirem. O que é gasto e usado agora determinará o quão eficiente será a integração da tecnologia em nuvem promissora, bem como a produtividade do sistema como um todo.

5. Não segure o mundo nas mãos!

Embora pareça que o gerenciamento multi-nuvem seja de responsabilidade exclusiva da TI, trata-se de toda a organização e envolve funções em toda a empresa. É por isso que toda a nossa equipe executiva deve saber o que cada ferramenta e plataforma de nuvem faz e como ela contribui para o desempenho individual e geral.

Ao alinhar tudo dentro do processo de gerenciamento de várias nuvens com os objetivos estratégicos da empresa e os resultados quantitativos pode ajudar todos a entender o contexto para investir na nuvem e o valor gerado ao rastrear esse uso.

6. Fortaleça a estrutura de gerenciamento

Compartilhar a responsabilidade e ter que justificá-la para toda a organização te condiciona a se concentrar em maneiras de criar e manter a estrutura o mais forte possível para gerenciamento de nuvem. Isso inclui a criação de uma equipe dentro da TI para ajudar a supervisionar e avaliar continuamente os fornecedores e as ferramentas da nuvem, sempre checando se ainda são relevantes e estão funcionando conforme o esperado.

Recomenda-se também a criação de uma estratégia formal por escrito com objetivos, o mapa geral de recursos e custos/benefícios e um cronograma para revisão e avaliação. Mesmo com a necessidade de fazer mudanças contínuas, a estrutura de gerenciamento multi-nuvem deve permanecer sólida, e isso se dá pelo apoio nessas bases formais.

Entrar em contato

Leia também...