A tecnologia está envolvida em quase todos os aspectos de nossas vidas, não importa onde você mora. Celulares, tablets, dispositivos wearable, e até mesmo assistentes pessoais controlados por voz estão infiltrados na nossa rotina. Como consumidores, carregamos uma rica experiência tecnológica em nossos bolsos – nossos celulares. Já era a hora da Tecnologia da Informação trazer essa mesma experiência para o trabalho.

Sugiro que isso significa mudar nosso vocabulário para reconhecer que TI não serve mais usuários, um termo que diferencia os que usam tecnologia dos que não usam. Em vez disso, deveríamos adotar profissionalmente alternativas para refletir que todos em uma organização usam tecnologia de alguma forma como contribuidores para o sucesso dos negócios. Na VMware, diz-se colegas.

colegas abraçados

Colega é um termo de respeito, encoraja profissionais de TI a pensar sobre as pessoas com mais consideração e atenção. Isso significa que o departamento de TI é um facilitador para pessoas, não de tecnologia. Enquanto automação, Inteligência Artificial e machine learning podem nos ajudar a fazer as coisas mais rapidamente, o sucesso futuro da companhia depende das pessoas. São elas que trazem as ideias à diante, encontram oportunidades, resolvem problemas. Quando nos damos conta que trabalhamos juntos por objetivos em comum, que TI está aqui para facilitar o caminho ao sucesso, e que a organização é uma coleção de pessoas, muda o jogo.

O que isso significa de uma perspectiva prática? Significa que se você genuinamente acredita que TI está no trabalho para facilitar nossos colegas a darem o melhor em seus trabalhos e ter uma grande experiência com tecnologia, então coisas diferentes se tornam importantes. Devemos continuar atentos aos custos disso? Sim, mas é incrivelmente ingênuo focar no custo de consertar um problema de tecnologia quando na verdade é sobre a produtividade de uma pessoa ou time que está afetada.

Um bom exemplo é o service desk da VMware, decidiram não olhar para o serviço como um requerimento para fazer negócios e minimizar o custo por ticket. Em vez disso, a visão é a de que o service desk existe para facilitar o trabalho dos colegas. Seu service desk é responsável por prover aos companheiros colegas uma experiência prazerosa com a tecnologia e torná-los produtivos o quanto antes.

pessoas em mesas trabalhando com tecnologia

Se você pensa em seus companheiros como pares e se refere à eles dessa forma, a organização de TI deveria ser mais integrada. O TI tradicional foi organizado em silos: infraestrutura, segurança, suporte à desktop, aplicações, entre outros, com experts em algumas áreas. Esse modelo era bom de uma perspectiva de estabilidade quando a prioridade era garantir que os sistemas estavam funcionando.

O advento da consumerização, móvel, nuvem e tecnologias virtuais mudou o paradigma, o sistema continuar funcionando ainda é uma prioridade, mas as operações são tipicamente mais estáveis. Isso abre as portas para que o TI tome o próximo passo e pense sobre como os sistemas são acessados em conjunto e horizontalmente, não é mais suficiente dizer que um aplicativo de RH está funcionando quando um colega não consegue acessar porque o VPN caiu, ou que uma colega diga que seu laptop está funcionando, mas ela não consegue acessar seu sistema de e-mails em nuvem.

A oportunidade é a de olhar para os serviços holisticamente, da perspectiva dos colegas, o que significa medir o sucesso pela produtividade e experiência dos colegas, em vez de simplesmente pelo tempo sem problemas do sistema. Também é a hora de procurar novos termos já que Serviços de Usuário Final (End User Services) não se aplica mais tão bem. Qual a sua sugestão?

Fonte: https://blogs.vmware.com/vov/2018/05/07/why-vmware-it-enables-colleagues-not-users/
Autor: Jason Conyard, VP, End User Services

Leia também...